Ouça a diferença

Todos os implantes cocleares são iguais? Todos eles não produzem o mesmo resultado?

A resposta é simples: Não.

Apenas os implantes cocleares da MED-EL dispõem da tecnologia Triformance, que permite uma qualidade sonora mais natural e que nenhum outro implante coclear pode oferecer.1,2,3,4

“Imediatamente após a ativação [do implante da MED-EL] a música me pareceu mais intensa. Foi uma experiência que nunca tive antes com meu Cochlear, mesmo quando em pleno funcionamento. As composições me parecem agora mais claras, nítidas, melódicas. Posso desfrutar de mais sons e instrumentos musicais que antes não percebia. Melhorando ainda mais com a MED-EL.”
— Usuário com um implante da MED-EL em um ouvido e um implante da marca Cochlear no outro 2

Você está escolhendo um implante coclear para ouvir — assim, por que não escolher o mais próximo da audição natural?

Ao usar a tecnologia Triformance para enviar sinais sonoros mais naturais para toda sua cóclea, nossos implantes cocleares podem fornecer o mais próximo possível da audição natural.1,2,3,4,8,9 E audição mais natural não significa apenas desfrutar do som de seu implante — mas de ouvir melhor.5,6.

Quais são as vantagens de uma audição mais natural com a MED-EL?

Melhor audição — e rapidamente

Aprender a ouvir com qualquer implante coclear exige paciência e dedicação — mas com a MED-EL, os usuários podem gozar de uma melhor audição já nos primeiros meses.5,7 Dispomos obviamente de um programa de suporte abrangente para ajudá-lo a obter o máximo de sua nova audição.

Melhor audição em ambiente silencioso ou com ruído de fundo

Esteja relaxando em casa ou jantando fora com amigos, você está tranquilo. Nossos implantes cocleares são projetados para garantir a melhor audição no dia-a-dia — mesmo em ambientes barulhentos como restaurantes, de modo que você não precisa depender de acessórios volumosos, como microfones remotos.3,5,6

E com o controle de ajustes automáticos, você não precisa alterar configurações ou alterar programas.

Qualidade de som mais natural

Em um estudo interessante, usuários receberam uma marca diferente em um ouvido e mais tarde um implante da MED-EL no outro.2 Mesmo tendo menos experiência com o implante da MED-EL, a maioria dos usuários classificou a qualidade do som da MED-EL como mais natural do que o da outra marca de implante. Os usuários disseram “as vozes [são] mais claras e vibrantes” e que a MED-EL ofereceu “som mais profundo, vibrante, natural”.2

Como os usuários descrevem os implantes de outras marcas? “Mais mecânico e metálico.” e “Mais robótico, metálico e produz eco". Não é possível diferenciar as vozes individuais tão bem, pois o som é mais metálico. Soa como um microfone com distorção.”

MED-EL

  • “Som mais natural”
  • “Mais profundo”
  • “Mais claro”
  • “Mais nítido”
  • “Mais melódico”
  • “Mais vibrante”

Cochlear

  • “Mais robótico”
  • “Metálico”
  • “Produz eco”
  • “Som mais metálico”
  • “Mais mecânico”

Descrições de usuários comparando seus dois diferentes implantes.2

9 em cada 10
usuários MED-EL relataram no estudo que a música soa agradável através do implante.8

Música mais agradável

Se você pode apreciar música, atingiu um nível totalmente novo de audição. Todas as pessoas têm habilidades auditivas diferentes, mas em um estudo sobre prazer musical, mais de 90% dos usuários da MED-EL relataram que a música soa agradável através de seu implante coclear.2,8,9,10

Um implante coclear é uma escolha para toda a vida, de modo que você quer estar seguro de estar tomando a decisão certa. Quando você escolhe a MED-EL, está optando por uma audição mais natural. Você está pronto para notar a diferença?


  1. Rader, T., Döge, J., Adel, Y., Weissgerber, T., & Baumann, U. (2016). Place dependent stimulation rates improve pitch perception in cochlear implantees with single-sided deafness. Hear Res., 339, 94–103.
  2. Harris, R.L., Gibson, W.P. Johnson, M., Brew, J., Bray, M., & Psarros, C. (2011) Intra-individual assessment of speech and music perception in cochlear implant users with contralateral Cochlear and MED-EL systems. Acta Otolaryngol., 131(12), 1270–1278.
  3. Vermeire, K., Landsberger, D.M., Van de Heyning, P., Voormolen, M., Kleine Punte, A., Schatzer, R., & Zierhofer, C.(2015) Frequency-place map for electrical stimulation in cochlear implants: Change over time. Hear Res., 326, 8–14.
  4. Schatzer, R., Vermeire, K., Visser, D., Krenmayr, A., Kals, M., Voormolen, M., Van de Heyning, P., & Zierhofer, C. (2014) Electric-acoustic pitch comparisons in single-sided-deaf cochlear implant users: frequency-place functions and rate pitch. Hear Res., 309, 26–35
  5. Buchman, C.A., Dillon, M.T., King, E.R., Adunka, M.C., Adunka, O.F., & Pillsbury, H.C. (2014). Influence of cochlear implant insertion depth on performance: a prospective randomized trial. Otol Neurotol., 35(10), 1773–1779.
  6. Kleine Punte, A., De Bodt, M., & Van de Heyning, P. (2014) Long-term improvement of speech perception with the fine structure processing coding strategy in cochlear implants. ORL J Otorhinolaryngol Relat Spec., 76(1), 36–43.
  7. Helbig, S., Helbig, M., Leinung, M., Stöver, T., Baumann, U., & Rader, T. (2015). Hearing preservation and improved speech perception with a flexible 28-mm electrode. Otol Neurotol. 2015 Jan;36(1):34-42.
  8. Müller, J., Brill, S., Hagen, R., Moeltner, A., Brockmeier, S.J., Stark, T., Helbig, S., Maurer, J., Zahnert, T., Zierhofer, C., Nopp, P., & Anderson, I. (2012) Clinical trial results with the MED-EL fine structure processing coding strategy in experienced cochlear implant users. ORL J Otorhinolaryngol Relat Spec. 74(4),185–198.
  9. Roy, A.T., Carver, C., Jiradejvong, P., & Limb, C.J (2015) Musical sound quality in cochlear implant users: A comparison in bass frequency perception between Fine Structure Processing and High-Definition Continuous Interleaved Sampling strategies. Ear Hear. 36(5), 582–590.
  10. Roy, A.T., Penninger, R.T., Pearl, M.S., Wuerfel, W., Jiradejvong, P., Carver, C., Buechner, A., & Limb, C.J. (2016). Deeper cochlear implant electrode insertion angle improves detection of musical sound quality deterioration related to bass frequency removal. Otol Neurotol., 37(2), 146–151

© 2017 MED-EL