Geoffrey Ball

Inventor do VIBRANT SOUNDBRIDGE

Geoffrey Ball teve perda auditiva sensorioneural desde um ataque sério de febre quando ele era criança. Ele foi equipado com aparelhos auditivos convencionais e, embora esses dispositivos aumentassem o nível de intensidade, Ball nunca estava satisfeito com sua qualidade de som. Aos 15 anos de idade, ele pediu ao seu otorrinolaringologista sobre a possibilidade de receber uma prótese auditiva implantável. Ele soube, então, que tais dispositivos estavam sendo desenvolvidos e estariam disponíveis dentro de cinco a dez anos. O que ele não sabia, é que seriam mais 18 anos, antes que ele pudesse colocar aparelhos auditivos implantáveis que ele próprio tinha projetado.

Após completar seus estudos em engenharia na Universidade de Oregon, Ball trabalhou como técnico biomédico em um laboratório na Virgínia por oito anos. Ele lidou com campos variados da investigação auditiva e percebeu que as vibrações do ouvido humano poderiam ser imitadas com um transdutor de sinal fraco. A estimulação do ouvido médio com vibrações mecânicas, ao invés de ondas de som é chamada de "transmissão direta" . Para Ball, esse conhecimento foi a força que o moveu o estudo de uma prótese auditiva implantável. Ele soube então que tal dispositivo teria muitas vantagens, pois o canal auditivo permaneceria em aberto com "transmissão direta". Efeitos como a oclusão ou distorção são eliminados e o som gerado é natural.
 

Em 1992, após novas pesquisas, Ball estava convencido de que um transdutor de sinal eletromagnético era a melhor opção para dispositivos com transmissão direta. Com esse conhecimento, Ball passou a noite em seu próprio laboratório de eletrônica contruindo e testando novos transdutores de sinais para o acionamento direto. Certa noite, depois de muitos fracassos, Ball se deparou com um sistema com benefícios óbvios. A eficiência do transdutor foi muito melhor em comparação a outras abordagens, enquanto o procedimento cirúrgico seria relativamente simples.

"De repente, eu sabia. O projeto era tão simples e resolveu muitos problemas ... Eu sabia, é isso "; lembra Ball.

Depois de inúmeros projetos novos, Ball teve sua invenção patenteada em 1993. Symphonix foi fundada e o transdutor melhorado, conduzindo finalmente ao desenvolvimento do Floating Mass Transducer (FMT), que é ainda usado hoje em dia.

Após a aprovação do implante do ouvido médio nos Estados Unidos, Geoffrey Ball foium dos primeiros pacientes a receber um Vibrant Soundbridge.

Algum tempo depois, ele recebeu o segundo implante no outro ouvido.

Como diretor técnico da Symphonix, dedicou seu tempo para melhorar ainda mais o implante do ouvido médio. Quando Symphonix terminou suas atividades, a MED-EL de Innsbruck, na Áustria, assumiu o Vibrant Soundbridge em junho de 2003. A Tecnologia Auditiva GmbH do VIBRANT da MED-EL foi criada para ser comercializada e desenvolver o implante do ouvido médio de maior sucesso mundialmente e Geoffrey Ball se juntou a equipe VIBRANT da MED-EL como diretor técnico. Hoje, Ball, sua esposa e três filhos vivem perto de Innsbruck.

A determinação de Geoffrey Ball tem ajudado muitas pessoas que sofrem de perda auditiva condutiva e mista pelo mundo inteiro. Sua invenção vai continuar permitindo que muitas pessoas passem a ouvir os sons da vida.

“Meu sonho era uma melhor qualidade de vida para mim e para todos os que têm de conviver com a perda auditiva", diz Ball. "É uma sensação indescritivelmente boa ser capaz de ajudar outras pessoas que querem desfrutar a vida em todos os seus aspectos, como eu, e que querem falar com a família, amigos e colegas de trabalho, o que costumava ser impossível.”

Em 2002, Geoffrey Ball recebeu o Prêmio Annunzio para Ciência e Medicina
(2º lugar), em 2000, foi nomeado Engenheiro do Ano pelo melhor projeto e ganhou o Prêmio Empreendedor Sci3 Silicon Valley em 1998.

© 2017 MED-EL