A Ciência por trás do
Gerenciamento Automático do Som

Faça Transições Ininterruptas entre
Ambientes Sonoros sem Ajustar as Configurações

Você pode passar o dia em um parque calmo ou em um restaurante barulhento, em uma estação de trem lotada ou em uma praia tranqüila, por esse motivo, as tecnologias exclusivas do MAESTRO são projetadas para proporcionar um desempenho excepcional para a vida real de forma automática.

Outros processadores exigem que os usuários façam frequentes alterações na configuração ou reprogramações, a fim de desfrutar de uma experiência auditiva ideal. O Gerenciamento Automático do Som detecta situações de mudanças no ruído, adaptando-se automaticamente, sem quê você precise fazer qualquer ajuste.

Como o Gerenciamento Automático do Som Funciona
Para que o processamento de som do implante coclear seja eficaz, é fundamental comprimir a larga área dinâmica (120 dB) de uma audição normal, em uma escala aceitável para a estimulação elétrica (30 dB). Para enfrentar este desafio, todos os processadores de áudio da MED-EL utilizam a tecnologia estrategicamente conhecida como Gerenciamento Automático do Som (ASM). O ASM consiste em um estágio duplo de Controle Automático de Ganho (AGC) fornecendo uma vasta área Dinâmica de entrada (IDR) e controle automático de volume.

Área Dinâmica de entrada é um dos recursos mais importantes na tecnologia do processador de áudio. Estudos mostram que apenas um IDR extenso permite a percepção de fala adequada em ambientes com ruído. Todos os processadores 1,2 retroauriculares (BTE) da MED-EL oferecem uma área Dinâmica de 75 dB. Portanto, todos os sinais dentro da faixa de 25 dB e 100 dB SPL são processados. Isso permite um processamento detalhado de uma ampla faixa sonora de entrada.

O Controle Automático de Volume lida com grandes níveis de entrada que ocorrem na vida diária, incluindo tanto a fala mais suave quanto a mais elevada. O Controle Automático de Volume assegura que a percepção da fala em ambientes com ruído de fundo, seja praticamente imune a variações, o que significa que usuários de processadores de áudio da MED-EL podem entender diálogos suaves a elevados igualmente, bem como a um discurso normal. A variação do nível da fala pode ser entendida igualmente como sendo um discurso sem variações de níveis.3

Clique na foto para iniciar a animação.

Os processadores de áudio da MED-EL também apresentam um Controle Automático de Ganho Dual.4 Esta tecnologia permite aos usuários ouvirem sons muito altos, como um avião, ou mesmo sons muito baixos, como um sussurro,em um nível de volume confortável. Estágio Dual também garante que um aumento repentino no volume não resulte em uma mudança no volume desconfortável para o usuário. Da mesma forma, estágio Dual também impede sons excessivamente abafados seguidos de um sinal inicial muito forte. Portanto, os sons que os usuários ouvem são sempre apresentados para maximizar a compreensão da fala e para preservar as diferenças sutis na intensidade de um som para o outro.

Outros processadores exigem que os usuários freqüentemente retirem o processador do ouvido para ajustes com base no ambiente e no nível de ruído de fundo. Usuários de processadores com Gerenciamento Automático do Som podem ter certeza que estas mudanças estão sendo feitas automaticamente. Isto é importante particularmente para bebês e crianças pequenas que não são capazes de reconhecer mudanças ao seu redor. Nesses casos, os pais são obrigados a fazerem mudanças freqüentes nas configurações do processador do seu filho, a fim de receber o melhor benefício possível.

Com o Gerenciamento Automático do Som, área Dinâmica e o controle de volume automático, os usuários podem experimentar uma audição ideal tanto em aeroportos, em um concerto, em uma reunião de negócios, em um restaurante como também em sua casa.

  1. Spahr, Dorman, Loiselle (2007): Desempenho de Pacientes Que Utilizam Diferentes Sistemas de Implantes Cocleares: O Efeitos da Entrada Dynamic Range
  2. Haumann et. al., 8ª Conferência Internacional da Sociedade Européia de Otorrinolaringologia Pediátrica, Budapest, 8-11 June 2008: Influência no Processamento da Percpção da Fala com Implantes Cocleares de Vários Fabricantes
  3. Nopp P et al, Desenpenho com o processador OPUS 2 em um teste de fala a um nível restrito, apresentado no 9 º Simpósio Europeu sobre Implante Coclear Pediátrico, Warsaw, 2009
  4. Stöbich, Zierhofer, Hochmair (1999): Influência no Parâmetro da Configuração do Automatic Gain Control na Compreensão da Fala dos Usuários de Implante Coclear Empregando a Estratégia de Continuous Interleaved Sampling

© 2017 MED-EL